BAND NATAL

Arquivo para abril, 2010

Em Junho a BAND NATAL entra na era digital. Abaixo segue um breve guia sobre TV digital e alta definição.

Sérgio Renato – OPERAÇÕES BAND NATAL

 Sinais de TV trafegando em bits e bytes, com imagens em alta resolução, câmeras simultâneas, compras pela televisão e interatividade como a da Internet. Tudo isso é parte do universo da TV digital, que vem ganhando terreno no Brasil com a invasão das telonas de plasma e LCD nas lojas.

Com a novidade, é bem provável que a sopa de letrinhas do mundo da informática saia do computador e chegue até a sala de estar. Aliás, ela já chegou, nestes tempos digitais ouve-se falar muito em siglas como HDTV, DVB, DTV, full HD. Se você ainda não entendeu bem o que é tudo isso vamos esclarecer agora esse assunto que muito confunde os mais leigos do assunto.

TV analógica, nossa velha conhecida

Quem nasceu depois de 1950 acompanhou a televisão em franca atividade. Desde sua aparição, estamos acostumados a assistir à TV por meio de sinais analógicos e tubos de raios catódicos. Os sinais gerados pelas emissoras são transformados em ondas de rádio que, transmitidas para a sua TV, são convertidos novamente em imagem e som.
O sistema analógico funcionou bem, mas começou a enfrentar limitações. Por exemplo, os aparelhos de tubo CRT têm cerca de 480 linhas de resolução, insuficientes para “encher” uma TV grande, a partir de 30 polegadas, e manter a qualidade da imagem.
Além disso, os canhões de elétrons do CRT só conseguem preencher metade das linhas a cada passada da imagem pela tela. Assim, os aparelhos utilizam um recurso de entrelaçamento das linhas para montar a imagem. Muitas vezes, isto causa uma imagem que fica vibrando (efeito conhecido por “flicker”). Estas complicações ficaram mais evidentes com os aparelhos de TV maiores, que invadiram o mercado a partir da década passada.
Eis então que o sinal digital de TV surgiu para resolver este problema. Ele é codificado em bits e bytes —como zeros e uns que computador usa para identificar os comandos—, transmitido por satélite ou cabo e depois decodificado por um aparelho antes de entrar em seu televisor.
O sistema digital pode ser bem exibido tanto em uma tela muito pequena como em uma muito grande sem perda de qualidade. O sinal de vídeo pode ser progressivo, ou seja, a tela exibe a imagem inteira a cada quadro (frame), e não entrelaçado, que mostra uma linha de pixels sim e outra não.
Para nós, emissoras de TV, existe ainda a vantagem de enviar vários sinais diferentes utilizando a mesma banda de transmissão, incluindo conteúdo especial, como menus e opções de interação. Transmitir sinais em baixa resolução, nos serviços “one-seg”, para recepções em celulare, PDAs e ainda transmitir multi-programação, ou seja, vários conteúdos ao mesmo tempo e no mesmo canal. O telespectador terá a opção de assistir o que lhe for mais conveniente. Mas por enquanto não é permitido, pois a nossa legislação diz que um canal de televisão só pode transmitir um único conteúdo. É torcer para que em breve haja uma reforma nessa lei para que possamos desfrutar de todas as vantagens da TV digital.

Analógico, digital, full HD etc.

Há três diferenças fundamentais entre o sinal digital e o analógico: relação de aspecto, resolução e taxas de quadros.
A relação de aspecto é como a imagem aparece em sua tela. O padrão das TVs sempre foi 4:3, ou seja, quatro unidades de largura por três de altura. No sistema digital você pode ter 16:9, como em uma tela de cinema.
A resolução da TV analógica é de 480 x 360 pixels, em média. A da TV digital começa em 704 x 480 pixels, conhecida por SDTV (Standart Digital Television), e chega a 1.920 x 1.080 pixels, o formato HDTV ou Full HD, quase dez vezes mais nítido que o analógico.
A taxa de quadros define quantos quadros são necessários a cada segundo para que uma imagem fique completa. Na TV convencional é de 24 quadros por segundo entrelaçados (interlaced ou i). Na digital, varia de 24i a 60 quadros por segundo progressivos ou 60p.
Assim, durante sua pesquisa por uma TV pronta para a alta definição, você se deparar com a indicação “1080i”, significa que o aparelho em questão tem resolução nativa de 1.920 x 1.080 pixels (os fabricantes normalmente indicam apenas o número de linhas da tela) e pode exibir imagens a taxas de 60 quadros por segundo entrelaçados (60i).

Veja abaixo um quadro das resoluções de HDTV e SDTV. Observe que a primeira resolução considerada HDTV é a de 1.280 x 720 pixels, com aspecto ratio de 16:9. Esta resolução não é a chamada Full HD (alta definição total), que atinge os 1.920 x 1.080 pixels.

Formato Resolução Aspecto Taxa de quadros
HDTV 1.920 x 1.080 (Full HD) 16:9 24p, 30p e 60i
  1.280 x 720 16:9 24p, 30p e 60p
SDTV 704 x 480 16:9 24p, 30p, 60i e 60p
  704 x 480 4:3 24p, 30p, 60i e 60p
  640 x 480 4:3 24p, 30p, 60i e 60p

 Além da diferença de resolução, o novo sistema também difere na recepção do sinal. O da TV analógica pode ser decodificado diretamente pelo seu televisor depois de passar pela antena. Já o sinal digital precisa de um decodificador especial para ser visto no seu aparelho. As TVs por assinatura ou a cabo —como NET, TVA e SKY— já oferecem sinais digitais para os assinantes. A transmissão digital de TV aberta também necessitará de um decodificador para receber o sinal digital (set-top-box) que virá das emissoras abertas ou que esse decodificador esteja embutido nas TVs mais modernas.

É importante lembrar que transmissão digital não significa que o sinal é de HDTV, pois este é definido pela resolução —que precisa ser de pelo menos 720 linhas para começar a ser HDTV, e de ser 1.080 linhas para ser full HD.

Fonte base do texto:  http://tecnologia.uol.com.br/produtos/ultnot/2007/06/14/ult2880u366.jhtm

Anúncios

Jornalismo: Memória da Cidadania

Por Muriu Mesquita

Entristeço-me quando pessoas pensam ser-me pequeno o sonho final: o de trabalhar cada vez mais para reforçar o comprometimento do jornalismo com a sociedade.

Escrevia assim para o blog da BAND NATAL quando senti a obrigação de ilustrar este comentário com a evocação de Barbosa Lima Sobrinho.

Jornalista por excelência, Barbosa Lima sempre defendeu a democracia: “Quero que alguém encontre nos artigos que escrevi uma só palavra que não tenha sido em defesa do Brasil”, discursou o presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) em 1997, quando completou 100 anos, referindo-se à profissão em que começou em 1912, aos 15 anos, em Pernambuco.

Com ele nós aprendemos a lastimar esses personagens cínicos, tão corruptos quantos nefastos, essas torturas morais, essas negações do Direito, que surgem na vida pública para serem expurgados da face da Terra.

Assim, para empunhar o escudo da verdade e da razão, homens como Barbosa Lima Sobrinho têm que dedicar a vida inteira nessa prática incansável do jornalismo, que assume o papel de memória da cidadania.

Barbosa Lima Sobrinho é um nome que figura na história democrática brasileira como luminar da inteligência e coerência. Dedicou-se à luta pela liberdade de expressão e pela soberania do país. Neste momento de crise institucional generalizada, ele faz grande falta ao Brasil. Aliás, estamos cada vez mais carentes de homens públicos de escrúpulos.

Ainda bem que ainda existem jornalistas de verve apurada, como Gilberto Dimenstein (Folha), a turma do CQC da BAND, Miranda Sá e o nosso apresentador do RN URGENTE, Jacson Damasceno, dispostos a sacudir o seu conformismo e cutucar sua vergonha. Até quando, amigo (e)leitor?

E por fim, deixo como dica de leitura o blog do veterano malandro carioca e mestre do jornalismo, Miranda Sá. E o antigo atualíssimo livro de Dimenstein “Como Não Ser Enganado Nas Eleições”, em sintonia com o pleito deste ano.

http://www.planetaeducacao.com.br/portal/artigo.asp?artigo=293

EMPREENDER É CORRER RISCOS

Sêmio Segundo

Olá. Você gosta de correr riscos? Não? Então arrume um emprego e não invente de abrir um negócio, pois empreender é correr riscos! E todo, eu disse TODO negócio tem riscos! Assim, para empreender, você precisará encarar os riscos inerentes ao ato de abrir e tocar um negócio no mundo de hoje.

E os riscos envolvidos não são poucos. Se você estiver disposto a corrê-los, minha recomendação é: pare para calcular esses riscos. Muitas vezes a empolgação para abrir o negócio próprio é tão grande que todos os riscos são diminuídos. Cuidado, pois as estatísticas estão aí para provar: de cada 2 negócios que abrem no Brasil, um fecha até dois anos de vida! E levando, muitas vezes, as economias de toda uma vida!

E o melhor remédio para a empolgação na abertura de uma empresa é um plano de negócios. Qualquer tempo ou dinheiro investidos nesta ferramenta é melhor que sair abrindo uma empresa sem calcular os riscos. Como consultor, me deparo muitas vezes com a frase: “essa é uma oportunidade de ouro, um cavalo selado passando na minha frente pronto para eu montar”! O que respondo? Oportunidades de ouro existem sim, mas são raríssimas! E que estes tipos de cavalos selados muitas vezes derrubam quem não está preparado – quem não calculou os riscos – para montá-los!

Contudo, calcular os riscos é bem diferente de ser covarde. Ora, se afirmo que todo negócio tem riscos, é porque para ser bem sucedido na vida como empreendedor, a pessoa tem que ousar, tem que se propor a sair da zona de conforto e voar alto em busca de seus sonhos, suas metas. Ser dono do próprio negócio traz um nível de satisfação e realização pessoal únicos na vida daqueles que abraçam a causa, mas nunca esta satisfação vem sem sacrifícios, sem capacidade de adaptação às barreiras do caminho, às quedas e dificuldades que fazem parte da vida. Por isso, tão importante quanto calcular os riscos é persistir quando o planejado difere do executado. Nunca desistir, nunca se acovardar, calcular os riscos, enfrentar os desafios, estes têm que ser seus mantras. Pego emprestado do mestre Peter Drucker o seguinte ensinamento: Aonde há uma empresa de sucesso é que alguém tomou alguma vez uma decisão valente. Pense nisso. Bom trabalho, sucesso.

Direção da TV BAND Natal Anuncia Nova Programação

Durante os meses de abril e maio, a TV BAND Natal incrementa a programação local com as estréias de novos programas, quadros de opinião, debates, atrações temáticas, além da ampliação da participação da emissora sediada em Natal nos telejornais nacionais do Grupo Bandeirantes.“Vamos dar uma diversificada na programação local para atender a todos os gostos, com espaço aberto aos principais temas de interesse da população”, explica Djalma Correa (Diretor Geral da BAND).

Uma das apostas da emissora é a revista eletrônica “Boa Tarde”, que estréia no próximo dia 26 de abril, com apresentação dos jornalistas Osair Vasconcelos e Marina Leiros. A atração ainda traz a participação de Robson Carvalho (Comentarista Político) e George Olimpo (Comentarista Jurídico), além de reportagens, entrevistas e notícias em tempo real.

A primeira novidade vai ao ar nesta próxima segunda-feira, 19 de abril. O jornalista Jacson Damasceno vai comandar o “RN Urgente”, uma versão dinâmica e renovada do programa jornalístico policial, que será exibido ao vivo em horário nobre, das 18h50 as 19h20, no espaço entre o Brasil Urgente, apresentado por José Luis Datena, e o Jornal da BAND.

Debates sobre política, cultura, futebol e assuntos variados também vão ganhar espaço na tela da Band Natal. “Política Futebol Clube” será o novo programa de entrevistas e debates, apresentado pelo jornalista e publicitário Alex Medeiros, com estréia marcada para o dia 3 de maio, das 7h30 as 8h.

Em sintonia com o crescimento das conquistas e da participação feminina na sociedade, a Band Natal decidiu criar uma atração especial com foco nas mulheres. A partir do dia 10 de Maio, Juliana Cavalcante vai estar à frente do “BAND Mulher”, uma revista sobre os principais assuntos do universo feminino, como saúde, família, carreira profissional, moda, beleza e bem estar.

E no ritmo do esporte, o renovado programa Jogo Aberto e Ação traz as principais informações e matérias sobre futebol profissional e modalidades amadoras, com apresentação de Ivana Negrão e comentários de Freire Neto e Itamar Ciríaco. O “Jogo Aberto e Ação” é exibido ao vivo pelo canal 03 da TV aberta, diariamente, das 12h30 as 13h15.

E as novidades continuam nos próximos meses. A emissora se prepara para ingressar na era da transmissão digital antes da Copa do Mundo e intensifica o trabalho de interiorização do sinal no Estado. Atualmente, o sinal atinge 60% da área do Rio Grande do Norte, além da cidade de Fortaleza (CE).

 

*Mais informações: Muriu Mesquita – jornalista DRT RN 1315 – Ass. de Comunicação da BAND Natal. Contato: 8701-3824

Perdi a noção do tempo…

Luciano Júnior

Outro dia resolvi dar um belo passeio pelo shopping sem dor na consciência. Andei que andei e acabei sendo surpreendido pelas coisas que vi nas vitrines.

Começando por uma ótica. Destaque para alguns óculos que na minha adolescência eram os mesmos desejos de consumo. Os famosos Rayban de aviador e principalemente os Blue Brother´s Style, alusão ao filme de John Belushi e Dan Ackroyd, sucesso obrigatório nos 80´s.

Falando ainda em óculos, já vi inúmeros jovens desfilando com muitos deles coloridos e lentes espelhadas. Eu mesmo já tive vários para exibir nos verões do Guarujá da década de 80. E não existia pirataria, hein ?Mais uma vez voltei no tempo.

De volta pra casa e no carro escuto o locutor da rádio dizer entusiasmado: “Vamos ouvir agora o principal sucesso do momento, uma música para ajudar um povo sofrido, com vocês: We Are The World !!! ” We Are The World ? Mais bagunça na cabeça.

Decidi então parar em uma loja de brinquedos e comprar alguma coisa para meu filho. Pensei aqui vou encontrar um bom brinquedo, moderno, futurista, com a cara do não tão novo século assim. Peço ajuda a balconista, dou um perfil do meu filho e mais supresas. Homem-Aranha, Superman, Speed Racer, Gênius, Pinote, Cai Cai, War, Pula-Pirata entre outras preciosidades que há 30 me deixaram com os olhos brilhando.

Fiquei na dúvida entre o Monopoly e o Trunfo, impasse que , confesso, também tive na época. Tadinho do Luigi, ficou sem nada. Na saída do shopping até pensei em comprar uma camisa da moda pra mim. Qual me indicam ? Não, Lacoste , nãooooo !!!

Só pra escapar do assunto parei em uma conveniência e pedi um picolé de chocolate. “Só tem Chica Bon pode ser ?” O velho e bom Chica que eu me lambuzava assistindo o Pica-Pau e o Chaves ? Nossa , onde fui parar, sem sair do lugar !!! Pra matar a vontade do chocolate fui de Chokito mesmo…

Pra encerrar a programação “túnel do tempo”, no rádio do carro agora é a vez de Titãs e a “atual” Sonífera Ilha. Supreso com o insólito tour a passado e presente ao mesmo tempo, chego em casa e fico branco ao abrir a geladeira.

Só dá tempo de escutar a voz de minha esposa, gritando da sala:
“Amor, trouxe Grapette hoje pra você !!!”

Me digam, o tempo realmente passou ?

Mídias Sociais

Joca Melo

 Recente newsletter do grupo Peppers & Rogers relaciona 20 razões pelas quais as empresas devem investir em mídia sociais. Eu já tinha lido razões de vários tipos. Essas são bastante interessantes e foram retiradas do livro SOCIAL MEDIA 101 de Chris Brogan, presidente do New Marketing Labs.

• Os Blogs fornecem uma organização cronológica de pensamentos, status e idéias. Isto implica em mais permanência do que os emails.

• Os podcasts (vídeo e áudio) encorajam diferentes tipos de aprendizado – e em formatos portáteis.

• As redes sociais promovem a colaboração, podem substituir intranets e diretórios corporativos, além de fornecer outros canais de conversação (não se restringindo apenas ao email).

• As redes sociais podem acumular pessoas com gostos semelhantes em torno de interesses comuns, com pouca força externa, sem uma centralização organizacional. Isto propicia um senso coletivo sobre o que é importante e o que vem em seguida.

• Social bookmarking significa que grupos inteiros podem aprender sobre novos artigos, ferramentas e outras propriedades da web, ao invés de deixá-los todos em uma máquina, um browser, para uma pessoa apenas. • Blogs e wikis incentivam a conversação, compartilhamento e criação.

• Os softwares sociais como o Flickr, Last.fm e até mesmo a Amazon.com, promovem o compartilhamento de informações mediado por pessoas. Mecanismos semelhantes dentro de grandes empresas seriam tão eficazes quanto.

• Sites sociais de notícias mostram a popularidade de certas informações, fornecendo alguns dados demográficos. Um sistema de criação de enquetes por usuário seria útil dentro das empresas?

• As redes sociais são cheias de prospecção e fornecem informações para geração de negócios para as áreas de vendas e marketing.

• As redes sociais oferecem grandes formas de entender a mentalidade do consumidor online.

• As versões online de seus materiais e mídias, especialmente em formatos que possibilitam o compartilhamento de informações, permitem que outras pessoas executem sua mensagem.

• As versões online de seus materiais e mídias são pesquisáveis, possibilitando que o Google te ajude a encontrar novos visitantes, clientes e funcionários.

• Redes Sociais possuem muitas informações sobre seus potenciais novos funcionários, clientes e concorrentes.

• Blogs permitem que você fale tudo o que tiver na sua mente e deixe que o resto do mundo conheça seus processos de pensamento e mentalidade. Os podcasts são uma maneira de construir intimidade com a informação.

• Os Podcasts alcançam pessoas modernas, que estão experimentando novos gadgets, como Droids, iPhones, iPods, Apple TVs, Zunes e outros.

• O tagging (marcação) e o sharing (compartilhamento) e todas as outras atividades comuns nas redes sociais contribuem para que a informação seja passada adiante com muito mais rapidez.

• A agregação humana e a mediação melhoram a qualidade dos dados que você encontra e lhe proporciona mais a situação de “era exatamente o que eu estava procurando”.

• A inovação acontece muito mais rápida em um ambiente de software social, seja ele open source ou não.

• As conversas são mais pulverizadas, acrescentando metadados e posterior potencial valor de negócio.

• As pessoas se sentem ouvidas.

By: Joca Melo – Gerente de Marketing BAND NATAL.

Band Natal estreia novo programa de esportes nesta segunda-feira

Ivana Negrão, Itamar Ciríaco e Thiago César

A partir desta segunda-feira o torcedor e telespectador que estava acostumado a acompanhar as notícias do esporte local no “Band Esportes e Ação” vai se surpreender com o novo programa esportivo que a Band Natal coloca no ar. Depois de dois anos de sucesso, a atração diária passa por uma grande mudança – a começar pelo nome. O programa passa a se chamar “Jogo Aberto e Ação”, ganhando uma nova cara, com outro cenário e cheio de novidades, como quadros temáticos que passam a fazer parte das atrações.  A novidade segue o plano de padronização implantado pela Rede Bandeirantes em todo o país. “A atração esportiva da Band Natal é a primeira a passar por modificações que vão atingir toda a grade local da emissora até o final de abril. A Band carrega a imagem de ser o canal do esporte e aqui no Rio Grande do Norte temos o orgulhoso em dizer que nossa equipe faz o melhor programa esportivo do estado, por isso, temos que inovar sempre e investir para levar sempre o melhor para nossos telespectadores”, afirma Djalma Correa, diretor geral da Band Natal.
 
O “Jogo Aberto e Ação” assume o espaço antes ocupado pelo “Band Esportes e Ação”, apresentado de segunda a sexta das 12h30 às 13h15. O programa vai continuar sendo referencia na cobertura de todos os esportes praticados e com competições no Rio Grande do Norte, só que agora também no Ceará. “Desde outubro do ano passado estamos no ar no Ceará e temos uma forte audiência por lá, isso nos fez dar mais atenção ao público cearense nessa nova fase”, diz Freire Neto, diretor de esportes da Band Natal. A atração vai contar com uma equipe no estado vizinho produzindo conteúdo e reportagens sobre atletas, esportes e clubes cearenses.
 
Novo programa, mesma equipe de sucesso
 
O “gramado” muda, mas os craques são os mesmos. Ivana Negrão continua comandando o programa esportivo da Band. A apresentadora vai ganhar mais destaque no novo formato. Como no “Jogo Aberto SP”, o programa é divido em duas partes: a primeira com muita notícia e reportagens e a entrada dos repórteres com entrevistas fora do estúdio. Só na segunda metade do programa é que entram em cena os comentaristas Itamar Ciríaco e Freire Neto, além de outros convidados, como técnicos, dirigentes, jogadores e a equipe da 98 FM, parceira da Band na cobertura esportiva. “O novo formato nos dá muito mais dinamismo, as notícias são apresentadas de uma forma rápida e em maior quantidade nos primeiros blocos do programa e depois temos mais tempo para o nosso já tradicional debate”, conta Ivana. Como de costume, os telespectadores podem participar do debate fazendo perguntas e comentários pela internet ou telefonando para a redação da emissora. Thiago César continua nas reportagens e como apresentador eventual do programa nas folgas e viagens da titular. Um novo repórter será apresentado oficialmente aos telespectadores na segunda, Marksuel Figueredo.  Luciano Jr, Jackson Damasceno, Marina Leiros e Muriú Mesquita também participam da atração com reportagens especiais produzidas pelo departamento de jornalismo da Band Natal e nas coberturas dos mais diversos campeonatos.
 
Para a semana de estréia a equipe prepara reportagens especiais. O telespectador vai conferir os problemas enfrentados por quem pratica esporte no quadro “Blitz Jogo Aberto e Ação”, vai ficar por dentro de tudo o que a Copa do Mundo de 2014 pode representar para Natal, conhecerá em detalhes o drama do jogador Marinho Chagas e fará visitas aos grandes craques do nosso futebol como Souza e Alberi e outros destaques que ainda são surpresa.  A estréia mostrará ainda tudo o que aconteceu  na última rodada do returno do Campeonato Potiguar e as preparações das equipes para as finais da competição e o início da Copa do Nordeste das séries B, C e D do Campeonato Brasileiro.
 
Jogo Aberto e Ação
Segunda a sexta, das 12h30 às 13h15 na Band Natal.