BAND NATAL

Arquivo para novembro, 2010

Brasil terá seu primeiro show transmitido ao vivo no YouTube

Após experiências de artistas internacionais, como Katy Perry, Bon Jovi e U2, o Brasil fará sua primeira transmissão de um show em streaming no Youtube.

A estreia ficará por conta dos artistas sertanejos de maior sucesso do momento. Serão 2h30min de apresentação com as duplas Bruno e Marrone, Victor e Léo, João Bosco e Vinícius e os jovens cantores Luan Santana e Michel Teló.

A estimativa do Google, que adquiriu o YouTube em 2006, é que um milhão de pessoas sintonizem o canal http://www.youtube.com/sertanejo a partir das 20h de hoje.

“A internet é um canal popular, então, é natural escolhermos artistas populares”, explicou Alexandre Schiavo, presidente da Sony Brasil.

Conforme a gerente de marketing do Google, Flavia Simon, a apresentação desta noite será restrita ao território brasileiro e funcionará como um piloto. Atualmente, o Brasil está em quarto lugar entre os maiores mercados do YouTube, perdendo apenas para EUA, Japão e Inglaterra.

Lady Gaga vai abandonar Twitter em prol de crianças vítimas da Aids

A popstar Lady Gaga anunciou que vai abandonar temporariamente o Twitter e o Facebook. Conforme o site “NME”, o motivo é seu apoio à campanha “Digital Life Sacrifice”, organizada pela cantora Alicia Keys em prol de crianças vítimas da Aids.

O plano é que Gaga fique sem usar as redes sociais até que a organização Keep A Child Alive arrecade US$ 1 milhão (cerca de R$ 1,7 milhão). Sua saída está marcada para 30 de novembro, véspera do Dia Mundial do Combate à Aids.

Com mais de 7 milhões de seguidores, a cantora é atualmente a pessoa mais seguida do mundo no microblog. Em agosto, ela havia ultrapassado Britney Spears, que tem 6 milhões de seguidores.

Além dela, Justin Timberlake, Usher, Elijah Wood, Jennifer Hudson e Serena Williams também aderiram à campanha. Todos gravaram um vídeo publicitário no qual deixam uma mensagem após escreverem o último texto nas redes sociais.

FBI impede atentado com carro-bomba nos Estados Unidos

O FBI frustrou um plano de ataque com carro-bomba durante a cerimônia anual de inauguração de uma árvore de Natal, na noite de sexta-feira em Portland, Oregon, informaram as autoridades neste sábado.

O Departamento de Justiça identificou o suposto líder do complô como Mohamed Osman Mohamud, de 19 anos, cidadão americano de origem somali.

Mohamud foi detido por agentes do FBI e pela polícia de Portland por volta das 17h40 de sexta-feira (2h de Brasília de sábado), depois que ele tentou explodir uma caminhonete estacionada perto do local da cerimônia, a qual ele acreditava estar lotada de explosivos.

No entanto, o dispositivo havia sido desativado, e o público não correu riscos, destacaram as autoridades.

Mas “a ameaça foi muito real. Nossa investigação revelou que Mohamud estava absolutamente decidido a levar adiante um atentado de grande escala”, disse Arthur Balizan, agente especial do FBI em Oregon.

“Ao mesmo tempo, gostaria de esclarecer às pessoas desta comunidade que, de qualquer modo, retiramos sua capacidade de fato de realizar o atentado”, acrescentou.

Termina cirurgia de Alencar para desobstruir intestino

O vice-presidente José Alencar foi submetido, na manhã deste sábado, a uma cirurgia – a 16ª desde a descoberta de um câncer. Segundo a assessoria de imprensa do Hospital Sírio-Libanês, na região central de São Paulo, a operação foi bem sucedida. Parte do tumor e parte do intestino delgado foram retirados. O procedimento começou às 8h20 deste sábado e terminou por volta das 14h30. O vice-presidente voltou ao hospital para realizar exames. No sábado passado, ele deixou o hospital após ser internado na sexta-feira. Um dia antes, ele havia recebido alta depois de ter passado quase um mês no local para tratar um quadro de obstrução no intestino. Já internado, Alencar sofreu um infarto. O vice-presidente enfrenta um câncer na região abdominal há mais de dez anos e já havia passado por 15 cirurgias.

Cabral exalta espírito de retomada da lei e da ordem no Rio de Janeiro

O governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, e o secretário da Segurança Pública, José Mariano Beltrame, concederam uma entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, no Palácio Guanabara, sobre a onda de violência que assola o Estado desde o último domingo.

Cabral afirmou que o Rio está por encerrar um capítulo sangrento na história do combate à criminalidade. “Estamos virando uma página muito importante na história do Rio de Janeiro. Mais do que nunca, a população está percebendo que a conquista da lei e da ordem são direitos básicos”, exaltou o governador.

Veja a galeria de fotos da onda de violência no Rio

Durante o pronunciamento realizado na sede do governo, Cabral também ressaltou que a população tem demonstrado confiança nos trabalhos. Para o governador, o fato de as autoridades terem se unido para fazer valer o Estado democrático é histórico.

Por sua vez, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, elogiou a ação do governo federal, que estaria cumprindo com a obrigação de liberar frotas e equipamentos para as ações no Rio. “É uma mudança de paradigma [sobre a união pelo combate à criminalidade]. Esse confronto é uma necessidade para que possamos manter o poder do Estado. Não é o momento de contornar riscos, mas de correr riscos”, afirmou, referindo-se ao envio de 800 militares do Exército que estão na Penha para auxiliar os policiais no combate.

Segundo o último balanço divulgado pela Polícia Militar, os ataques promovidos por criminosos durante toda esta semana na capital fluminense e na região metropolitana do Rio de Janeiro já deixaram 96 veículos queimados, entre ônibus, vans e carros de passeio. Pelo menos duas cabines da Polícia Militar foram metralhadas. As polícias Civil e Militar prenderam, desde o início da semana, 192 pessoas e 25 morreram em confrontos com as forças de segurança do Estado.

Comissão teme nova chacina

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados divulgou nota oficial alertando para o riscos de que as operações policiais de combate ao crime organizado no Rio de Janeiro repitam o episódio da “Chacina do Alemão”, a mega-operação ocorrida em 2007 que mobilizou 1,3 mil policiais e resultou na morte de cerca 20 pessoas em um único dia. “Foram feitas atrocidades para nada. O tráfico aumentou lá”, aponta o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) membro da CDHM.

Cinco veículos foram incendiados hoje no RJ; um suspeito foi morto

A Polícia Militar do Rio de Janeiro informou que mais dois carros foram incendiados nesta sexta-feira, desde a madrugada, aumentando para cinco o número de ocorrências. Até agora, mais de 90 carros foram atacados nos últimos seis dias por grupos de traficantes. Também foi confirmada a morte de mais um suspeito das ações criminosas.

Por volta de 5h30, um ônibus foi incendiado na Rodovia Presidente Dutra, na pista lateral, no sentido São Paulo, na altura de Jardim América. Os bombeiros do quartel de Parada de Lucas foram ao local para controlar as chamas. Por enquanto, não há informações de feridos.

Outro veículo foi incendiado na avenida Brasil, altura da Penha. Segundo a PM, o carro foi encontrado em chamas na pista lateral, próximo à Favela Furkin Mendes. Ninguém ficou ferido.

Até então, outras três ocorrências foram registradas, sendo duas no Rio de Janeiro (Ipanema e Brás de Pina) e outra em São Gonçalo.

Morte

A onde de ataques também deixou um morto. Um bandido foi baleado em Madureira, na zona Norte. Quatro homens se preparavam para abordar os motoristas, quando foram surpreendidos por policiais militares. Houve troca de tiros.

Três bandidos conseguiram fugir e o baleado foi levado para o Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes, onde morreu. Os policiais do Batalhão de Irajá apreenderam uma granada, uma pistola, um galão de gasolina e um isqueiro.

Indiano se casa com 60 mulheres antes de vendê-las a prostíbulos

A polícia indiana anunciou nesta sexta-feira ter prendido um homem suspeito de ter pedido 60 mulheres em casamento, para em seguida vendê-las a prostíbulos, situados a milhares de quilômetros de suas cidades natais.

O homem, de 27 anos, foi detido em uma região de plantações de chá no Estado de Bengala ocidental (leste), onde foi acusado de ter agido durante cinco anos se apresentando como soldado bem pago do exército indiano.

“Tinha o hábito de se apresentar como um soldado que queria se casar antes de voltar ao trabalho”, informou à AFP o chefe da polícia local, Debendra Prasad Singh. “Ele mudava frequentemente de lugar para enganar as meninas de famílias pobres das plantações de chá e das aldeias”, no norte do país, relatou.

O homem se casou com pelo menos 60 mulheres antes de vendê-las a casas de prostituição de Mumbai e Pune, no sul da Índia. Cada uma valia entre 70.000 e 100.000 rúpias (1.150 a 1.650 euros). Nove das vítimas foram localizadas.